Loading…

THERAPIST ANA CRUZ

“O conhecimento de qualquer tipo causa uma mudança na consciência de onde é possível criar novas realidades." Deepak Chopra
seja bem-vindo

Semana especial do leitor! Pergunta da M.V.

#dúvidasdoleitor

“Bom Dia Ana! Meu nome é M. V. e tenho 22 ANOS. Eu gostaria de esclarecer uma dúvida que tenho desde sempre. Eu tenho facilidade para me apaixonar por alguém virtual, amigos da internet, que muitas vezes são de longe e eu nunca vi pessoalmente, mas quando existe a possibilidade de se tornar algo real ou até passo a conhecer a pessoa eu perco o interesse e dessa forma estou sempre sozinha. Eu quero saber por que isso acontece e qual a dica para eu mudar? Obrigada, desde já!”

amizade_virtual

Basicamente, a diferença entre alguém “virtual” e “real” está centrada no fato de que é possível criar e manter uma imagem, muitas vezes, diferente de si. Há tempo para elaborar frases, selecionar palavras, pensamentos, etc. O anonimato favorece a criação de uma espécie de personagem, alguém muitas vezes distante do seu eu. Não que seja mentira, e sim apenas uma forma de expor um lado que esteja reprimido.

No seu caso, é possível que esta falta de interesse sinalize alguns pontos da sua personalidade como:

Insegurança – no ambiente virtual você tem a (falsa) sensação de que há controle sobre as suas emoções e, por consequência, a (falsa) percepção de segurança e autoconfiança diante da situação de contato.

Dificuldade em firmar vínculos afetivos – no ambiente virtual há uma certa distância que a protege do medo da perda. Estabelecer vínculo com alguém implica em assumir o risco de perdê-la.

Timidez – no ambiente virtual é possível ser espontâneo, comunicativo, projetando elementos aos quais você gostaria de ser.

Carência – no ambiente virtual é possível que tenhamos atenção e carinho do outro a partir da nossa concepção de afeto.

Conceito sobre relacionamentos – no ambiente virtual é possível delinear e conduzir relacionamentos de acordo com as nossas expectativas, liberto do receio da rejeição. É mais fácil apenas deletar ou não responder, do que o famoso “olho no olho”.

É importante que se faça uma profunda reflexão e uma busca interior para que se identifique o que de fato sustenta este comportamento. Elabore para si mesma uma lista com dois critérios. Primeiro escreva tudo o que a agrada em relacionamentos em geral, e também escreva sobre tudo o que a desagrada e analise estes pontos de maneira racional. Estes processos se dão de modo inconsciente, logo, escrever é uma excelente maneira de olhar para si mesmo.

Caso não consiga, não tem problema, é importante não alimentar frustrações.

Em plena era da internet, é fundamental que se encontre o equilíbrio entre o mundo virtual e o real.

E seja feliz.

Grande abraço,

Ana Cruz – psicanalista

*Se você tem dúvidas sobre a vida, aproveite esta semana especial! Saiba mais aqui.

Deixe o seu comentário