Loading…

ANA CRUZ PSICANALISTA

“Tudo flui quando sentimos bem-estar mental. Aprenda que tudo é possível.” Fritz Perls – psicanalista
seja bem-vindo

A auto-sabotagem

Há momentos na vida em que por mais que tentemos mudar e agir diferente, de um jeito ou outro, acabamos cometendo os mesmos erros, fruto de armadilhas criadas por nós mesmos. Trata-se da auto-sabotagem, um ciclo de repetição de comportamentos destrutivos sustentados pelo nosso inconsciente.

Em 1916, Freud escreveu o artigo “Os que fracassam ao triunfar”. Basicamente trata-se da análise comportamental de todo e qualquer sujeito que, por diversas questões complexas, sofre diante da existência da satisfação de um desejo, por mais simples que seja. Realizações trazem apenas angústia e ansiedade, logo, o receio à felicidade gera conflitos internos. Essencialmente um processo inconsciente, é como se houvesse uma ‘briga’ interior, onde o seu lado consciente e racional diz: “eu quero, eu posso, eu mereço” e o seu lado inconsciente e irracional contra argumenta: “ e seu eu gostar? e seu eu for feliz? e se der certo? então, vou ter que mudar? ai que medo do novo!” Não basta apenas o desejo de mudar, de fazer algo diferente, se nossas crenças e  padrões continuam os mesmos. Você continuará repetindo o mesmo comportamento e puxando o seu próprio tapete.

auto-sabotagem“Uma parte de mim, é claro, quer realizar esse desejo. É a mais consciente, talvez a mais salutar, a que vê que as coisas não estão tão bem assim e que já há muito tempo precisavam ser mudadas. Outra metade de mim não quer, por culpa, covardia, raiva e desejo de vingança (contra os pais, real ou imaginário) e até acomodação. Essa parte é geralmente inconsciente e reprimida. Mas está lá. Inicia-se então um jogo de forças entre a parte consciente e inconsciente do ego, entre desejo e pressão social. Como em tudo, quem for mais forte ganha.” Liane Alves – especialista em comportamento

O psicanalista freudiano americano Stanley Rosner, com seus quarenta anos de experiência, afirma que a maioria das pessoas não percebe o que faz e preferem acreditar que a insatisfação é apenas fruto de algo externo.  Essa negação faz com que a pessoa siga em frente, mas sempre sofrendo de alguma forma. A auto-sabotagem pode se manifestar em absolutamente todos os aspectos da vida: no namoro, no casamento, na criação de filhos, na escola, no trabalho. E sua origem, muitas vezes, se dá lá atrás, na infância, no núcleo familiar que é onde adquirimos referências e construímos nossa base de percepção e atuação no mundo, incluindo traumas, absorção de características da personalidade de quem convivemos e até sentimentos de abandono, rejeição, culpa, entre outros.

Como mudar? Stanley Rosner dá a #dica: “evitar essas repetições destrutivas é muito difícil, porque elas estão consolidadas em nosso inconsciente desde muito cedo. Por isso eu digo que estar ciente de seu padrão de repetições é extremamente importante, eu diria que é o primeiro passo. Mas o caminho para estancar esse comportamento é ir de encontro ao trauma que está na raiz de tudo. Enfrentar esta tristeza. Muitos pacientes iniciantes agem como se tivessem nascido ontem e se recusam a falar do passado. Acham que é no presente que está a resolução de seu problema. Aos poucos vão percebendo que é preciso voltar no tempo para interromper o ciclo. A chave está na origem dos conflitos.”

Busque ajuda, busque a psicanálise e pare de se repetir.

Grande abraço,

Ana Cruz – psicanalista

10 thoughts on “A auto-sabotagem

  1. Sofrl muito com isso e por mais que tente mudar sempre vêm a tona. Fico comparando passado e presente só gera mais angustia e nunca cicatriza o trauma. A pior sensação que se pode ter quando vocé vê que isso atapalha sua vida adulta seu casamento seu emprego é frustante ???

    1. Oi Lidiane! Este processo é típico de auto-sabotagem. Concordo contigo, é frustrante. No entanto para que se consiga quebrar esse ciclo é muito importante procurar ajuda profissional. Grande abraço!

  2. muitas vezes chegamos a identificar a origem do problema,porém acredito que na análise é que iremos saber o que fazer dela.Não adianta só identificar.Achei muito interessante e pertinente o texto

  3. Adorei o artigo. Muito claro e importante. Gostaria de acessar seu face ou acompanhar suas publicações. Como faço? Obrigada. Abraços

  4. Esse assunto é muito complicado. Sendo a sabotagem inconsciente, não vejo como acessar a origem do conflito sem uma maturidade emocional adequada e ajuda de um psicanalista…. Existem sabotagens que o indivíduo jamais irá acreditar que ele mesmo faz para consigo mesmo, já que trabalha, sofre e faz tudo “corretamente” para atingir tal resultado. Então para os que tem pouco conhecimento nessa área e ler esse texto, querem mudar a sua vida… aconselho o psicanalista porque o valor gasto é um investimento para não perder o que se tem e tão pouco perder o que irá ganhar…

    Esse é um comentário de quem passou por essas experiências e só pode conhecer bem suas próprias sabotagens com ajuda “adequada”.

Deixe o seu comentário