Loading…

ANA CRUZ PSICANALISTA

“Tudo flui quando sentimos bem-estar mental. Aprenda que tudo é possível.” Fritz Perls – psicanalista
seja bem-vindo

3 dicas para melhorar sua autoestima

Basicamente, a baixa autoestima implica em uma visão negativista de si mesmo e em grande dificuldade de perceber seus potenciais e qualidades, seguida por ideias constantes, como “eu não sirvo pra nada”, “eu só faço mer$%%#@”, “eu sou um fracasso” e por aí vai. Mas acredite, é possível reverter este quadro.

A autoestima incide no conhecimento de si mesmo e na sua relação com o mundo. De acordo com o meu querido Dicionário Internacional de Psicanálise, “a consciência de si mesmo é uma atividade psíquica pela qual o sujeito nutre o sentimento de ser ou de existir como um indivíduo total e singular.” A constituição da autoestima se dá através do processo natural de desenvolvimento emocional e formação do eu que todos vivenciamos a partir dos nossos principais referenciais de vida somada a experiência diversas, sejam estas positivas e/ou negativas.

No entanto, em algum momento o vento vira e a autoestima vai lá embaixo. Seja por problemas antigos ou atuais, acontece o que se chama de despersonalização, isto é, perde-se a consciência de si mesmo gerando um desequilíbrio emocional onde o negativismo se sobrepõe ao positivismo para com o seu eu, sacou? A psicóloga junguiana Rosemeire Zago sinalizou muito bem a questão de causas e sintomas da baixa autoestima:

Sintomas: necessidade de: aprovação, reconhecimento, agradar; dependência; não acreditar em si mesmo; insegurança/timidez; não se permitir errar, perfeccionista; sentimento de incapacidade de realizações; não acredita em nada, em ninguém, porque na verdade, não acredita em si mesmo; dúvidas constantes, duvida do seu próprio valor; depressão; ansiedade; medo, agressividade; comodismo; sentimento de inferioridade.

Causas: autocríticas; excesso de recebimento de críticas; culpa; abandono; rejeição; maus-tratos; abuso físico, sexual e emocional; carência afetiva; comparações; frustração; vergonha; cobranças; inveja; insegurança, timidez; humilhação, raiva, e principalmente: perdas e dependência (financeira e emocional).

Deixo aqui 3 dicas para você melhorar sua autoestima:

baixa autoestima

Saia do labirinto: não importa como você reage, seja explodindo, retraindo ou atacando, o problema é o mesmo: o sujeito fica tão preso na armadilha da mágoa, raiva, ódio que não consegue seguir adiante, encontrar a saída, fazendo do seu mundo interior um grande Labirinto. Ninguém está imune a este processo, basta existir o estímulo certo. Leia o texto completo sobre O Labirinto e entenda como ele funciona.

Conheça a sua sombra: meu amigo Carl Jung, certa vez, disse que a sombra é a coisa que uma pessoa não tem o desejo de ser, mas é. Incide no lado negativo da personalidade, a soma de todas as qualidades desagradáveis que o indivíduo quer esconder, o lado inferior, sem valor, e primitivo da natureza do homem, a “outra pessoa” em um indivíduo, seu próprio lado obscuro. Leia o texto completo sobre A Sombra e identifique a sua.

Liberte-se do ressentimento: O ressentimento consiste em um ciclo vicioso: lamentação-acusação-ausência de vingança-impossibilidade de esquecer-sofrimento psíquico, resultante de um processo de autoenvenenamento psicológico. O ressentido é um traumatizado que ama sua dor. Leia o texto completo sobre O Ressentimento.

Mude! Jogue fora todo seu lixo emocional, pare de sentir pena de si mesmo, resgate o seu amor próprio, reinvente-se e não esqueça que ser feliz é uma escolha, o que você quer?

Grande abraço,

Ana Cruz – psicanalista

8 thoughts on “3 dicas para melhorar sua autoestima

  1. tenho 21 anos e tenho sérios problemas com minha auto estima, tenho vergonha do que eu sou, do que eu gosto, sou diagnosticado com transtorno personalidade emocionalmente instável, borderline, eu sou um prisioneiro dos meus pensamentos, eu já fiz terapia, me ajudou demais, acompanhado com psiquiatra para as medicações, abandonei a medicação pq eu não estava me sentindo nada bem, porém agora recorro a outros métodos para mascarar essa dor, graças a terapia e ao meu modo de pensar, reconheço tudo oque está de errado e sei que o importante é a pessoa querer e se esforçar, porém na minha cabeça para a pessoa estar disposta a se esforçar e trabalhar, ela tem que fazer pra ela mesma, só que pra pessoa fazer isso pra ela, ela tem que ter amor próprio, isso eu não tenho, eu superei todos meus traumas de infância e meus problemas com meus pais, porém eu não sei como desenvolver o amor próprio, para eu poder me esforçar para mim… até lá, só fico existindo, queimando pensamentos, com dor que vc não sabe o porquê e e falta de vontade que voccê não consegue explicar…

  2. tenho 21 anos e tenho sérios problemas com minha auto estima, eu já reconheci as fontes das dores, eu sei oque tenho que fazer para mudar mas eu não sinto vontade de mudar, pra mim, para eu ser o melhor e para conseguir as coisas que eu quero, tenho que me esforçar, porém eu não consigo me esforças pq eu não tenho amor próprio, não tenho auto estima, eu não vejo o pq fazer as coisas pra mim, pq tudo tá tão sem sentido, estou indo mal na faculdade, não tenho emprego, já fiz terapia acompanhado com psiquiatra, eu tomava medicação, eu ficava alerta, mas a dor era insuportável, agora não estou tomando medicações, mas tem outros métodos para mascarar a dor…

    1. Oi Danillo! Bem, tu mesmo já deste a resposta quando dizes “eu não sinto vontade de mudar”. Enquanto não houver o real desejo de mudança, tudo continuará em escala regressiva e destrutiva. Pense nisso.

  3. Você me descreveu, me sinto exatamente assim, e já faz muitos anos. Não sei sair disso, são altos e baixos, ultimamente só baixos.

    1. Oi Fernanda! O primeiro passo foi dado, que é reconhecer. Agora é importante buscar ajuda profissional para sair desta condição. Venha fazer terapia comigo, atendo presencial e online, veja no menu aqui no blog onde diz “faça terapia comigo”. Grande abraço!

Deixe o seu comentário