Loading…

PSICOTERAPEUTA ANA CRUZ

“O conhecimento de qualquer tipo causa uma mudança na consciência de onde é possível criar novas realidades." Deepak Chopra
seja bem-vindo

P.S.: eu te amo

Nem conto mais o número de pessoas que me procura pedindo as mais diversas explicações sobre o amor.  eu amo você dia dos namorados

De antemão já aviso que a racionalização é um dos tantos mecanismos de defesa que o ser humano apresenta. Bem, voltando, o amor é aquilo que não se contextualiza, que nos pega de surpresa e que chega sem avisar. Pode acontecer em um minuto, em semanas, por aquele que mal conhecemos e também por quem já está na nossa vida há tempos. O amor é aquele “clique” acompanhado do frio no estômago. É quem puxa do nosso âmago coisas que, muitas vezes, não queremos ver ou até admitir que existam em nós como, por exemplo, a insegurança que é ‘mui’ amiga de um cara chamado medo.

Só que quando esta dupla dinâmica se junta, a insegurança e o medo, geralmente eles chamam outro amigo bem traiçoeiro chamado auto-sabotagem. E esse é medonho! Este trio te congela no tempo, as horas, os dias e a vida passam e você, sem perceber, entra em estado de “quase pânico” criando ciclos repetitivos de sofrimento, angústia e ansiedade desnecessários. Arrepender-se do que não se fez dói tanto ou mais do que aquilo que se fez. Perceba de uma vez por todas que enquanto este trio nocivo continuar no controle não haverá espaço para viver o amor, entendeu? Pois não basta apenas senti-lo, é necessário vivê-lo em sua plenitude.

Se você teve aquele momento Fábio Jr na sua vida como diz aquela música “demorei muito pra te encontrar, agora quero só você… teu jeito todo especial de ser, fico louco com você…” siga o seu frio no estômago. Amor não tem regras. Amor é amor. E por ele, sempre vale a pena arriscar.

Grande abraço,

Ana Cruz – psicanalista

Deixe o seu comentário