ArabicEnglishFrenchPortugueseSpanish
Enfrentar-se

Enfrentar-se

Olhar para si mesmo requer algo que para muitos é tão difícil de dispor: força e coragem.

Semana passada postei no meu perfil no facebook a minha famosa pérola matinal, a #dicadatitia, do dia: olhar para si mesmo, enfrentar-se, não é para qualquer um, é só para os fortes. Confesso que após os diversos desabafos que recebi inbox, resolvi escrever este texto.

Basicamente o que acontece em terapia é isso, olhar para si mesmo. Independente da queixa apresentada pelo sujeito, sempre há, de alguma forma, a sua participação em tal situação, sentimento, sensação, etc da qual coloca. Meu amigo Freud, já dizia: “qual a sua responsabilidade na desordem da qual você se queixa? ”

espelho

Diferentemente da expectativa de diversas pessoas por aí, a ‘solução’ buscada não está fora, no mundo exterior, e sim dentro, no seu próprio universo. Desordens não se instalam onde não há brechas, espaços, frestas ou buracos e identificá-los demanda em… olhar para si mesmo. Agora, será que você está disposto a se desapegar de quem você acredita ser para visualizar quem você realmente é?

Admitir para si mesmo suas próprias fraquezas, vomitar o seu lado sombrio e perverso, reconhecer suas carências e vitimizações infantis, enxergar com lentes de aumento que você não passa de um pirralho perdido ou de uma menina egoísta apesar dos pesares, não é para qualquer um.

É fácil e perfeitamente cômodo viver nos mais diversos mundinhos do ‘faz de conta’, apontando e rindo dos erros e tropeços alheios, transferindo a outrem responsabilidades que no fundo você sabe que são suas, ler um texto como este e até pensar “é verdade”, mas nada fazer de diferente. Um beijo para a zona de conforto do ser humano e dois beijos para indústria farmacêutica que não é boba e faz dessa condição uma oportunidade ($$$$$$).

É incômodo aceitar a própria fragilidade em um mundo feito para fortes. Vejo na prática que pessoas aparentemente mais frágeis e que pedem ajuda com mais naturalidade, por muitas vezes se restabelecem e superam desafios mais rapidamente do que pessoas aparentemente mais fortes e que resistem a solicitar auxílio.” Marcela Pimenta Pavan – psicóloga clínica.

Por isso admiro todo aquele que se agarra com unhas e dentes na sua força e coragem, que faz de certas experiências um gatilho para buscar – e seguir, com a terapia. Que se despem do orgulho e praticam a humildade de procurar ajuda profissional. Nobre é o sujeito que assume consigo mesmo o real compromisso de mudar e trilha um novo caminho. Acredite, lá na frente você verá o fruto dos seus esforços. Ou sofrerá o resultado da escolha de continuar alimentando e/ou fugindo dos seus próprios problemas. Você decide.

Grande abraço,

Ana Cruz – psicanalista

8 Replies to “Enfrentar-se”

  1. Vou colocar td isso em pratica, pq se eu continuar no meu mundinho sofrido comedo de perder essa pessoa o que eu vou encontrar pela frente futuramente só vai ser sofrimento, já mudei aparti de hj, pq eu tenho escolha i hj á escolha vai ser minha. sofro com uma pessoa que só faz me julgar i me criticar por tudo. foi na confraternização do trabalho i ele nem quer mais falar comigo ñ atende só posso sair pro trabalho.

    Obrigada por me ajudar.

  2. Ana,

    Enfrentar-se é necessário – é como o mito da caverna. Depois de um tempo despertamos do:
    -Eu acho
    -Para “eu sou”. (bonzinhos e mauzinhos) caminham juntos. E daí? vamos que vamos…

    Admiro seu trabalho! Abs,

    1. Oi Raquel! É verdade, concordo com o mito da caverna. E não adianta fugir de si mesmo, somos o que somos, enfrentando ou não, aceitando ou não.

      Muito obrigada pelo carinho! Bjs

Deixe o seu comentário